quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Boas práticas no Caju Nordeste

Durante o Caju Nordeste serão realizados mini-cursos sobre “Boas práticas no processamento de frutas”, “Boas práticas na fabricação de cajuína”, “Certificação e registro de produtos alimentícios”, “Boas práticas na colheita, limpeza, secagem, classificação e armazenamento da castanha de caju”; e oficinas técnicas sobre “Utilização do caju e da castanha na produção de alimentos”, “Preparação de receitas à base de caju, com apresentação dos benefícios para a Saúde”, “Tecnologias inovadoras no processamento do caju” e “Utilização do caju na produção de ração animal”.

Na programação constam ainda demonstrações sobre “Mini-fábrica de processamento de castanha de caju”, “Mini-fábrica de processamento de cajuína”, “Mini-fábrica de processamento de xarope de caju” e “Equipamentos de limpeza/classificação da castanha de caju” e mesas redondas sobre “Programa de aquisição de alimentos da agricultura familiar”, “Zoneamento das áreas propícias ao plantio de cajueiro no Nordeste”, “Produção orgânica de caju e mel de abelha” e “As dez bandeiras do agronegócio do caju: marco de referência, desafios e diretrizes”.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Economia Solidária na Cajucultura

O deputado federal Eudes Xavier será o representante da Câmara dos Deputados na 7ª edição do Caju Nordeste, programado para o período de 24 a 27 de novembro, na cidade de Beberibe, Ceará. À convite do comitê organizador do evento, composto pelo Instituto Caju Nordeste, Instituto Desenvolvimento Estratégia e Conhecimento – IDESCO e Prefeitura Municipal de Beberibe, Eudes Xavier será o palestrante do painel “ Economia Solidária na Cajucultura”, que contará também com a participação do Ministro do Desenvolvimento Agrário (MDA), Guilherme Cassel, e o do Secretário de Agricultura Familiar do MDA, Adoniram Peraci. O painel será realizado no dia 25 de novembro, das 14 às 17 horas, no auditório do Teatro Municipal.

7º Caju Nordeste começa na próxima quinta-feira.

Nos dias 24 a 27 de novembro, a cidade de Beberibe será sede do 7º Caju Nordeste, maior evento da cadeia produtiva da cajucultura no Brasil, reunindo produtores e pesquisadores da área. De acordo com dados da Secretaria de Desenvolvimento Agrário, a cajucultura cearense emprega 20 mil trabalhadores na indústria de beneficiamento e 70 mil famílias no campo, informações que ressaltam a relevância do evento.

O encontro vai reunir empresários, técnicos e órgãos governamentais, com o objetivo de promover a interação e o diálogo entre os diversos elos da cadeia produtiva da cajucultura, em benefício do desenvolvimento do setor, procurando apresentar um plano de sustentabilidade produtiva para os pequenos produtores rurais, baseado em macanismos de assistência técnica e de cooperação entre os produtores e a indústria, bem como as ações que o governo do Estado deve imprimir para impulsionar o setor no Ceará. Esse ano o Caju Nordeste terá como tema “Empreendedorismo: Agregando Inovação aos Negócios do Caju” e segundo seus organizadores trata-se do maior seminário temático do Brasil.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

7º CAJU NORDESTE

O 7º CAJU NORDESTE é uma realização do Instituto Caju Nordeste, sediado em Fortaleza (CE). Com o tema “Empreendedorismo – agregando inovação aos negócios do caju”, o evento terá uma rica e diversificada programação: Feira de Empreendedores do Caju e de Atividades Consorciadas, com Exposição e comercialização de produtos, serviços, máquinas e equipamentos; Painéis Temáticos, Laboratório de Transferência de Tecnologias; Cursos, Palestras, Oficinas Técnicas e Mesas-Redondas; Caravanas de Produtores Rurais; Festival Gastronômico; Entrega do Troféu Caju de Ouro; Shows Artísticos, com grandes bandas.
Atento aos desafios atuais da cultura do cajueiro e coerente com as diretrizes da Câmara Setorial da Cajucultura, o 7º Caju Nordeste, mais que um seminário periódico, assume o compromisso de oferecer aos atores da cadeia produtiva do caju um espaço para o debate e a construção de novas idéias e propostas, que serão objeto de ações pós-evento.
Mais informações:www.cajunordeste.org.br

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Produção de castanha cresce em Moçambique

A produção moçambicana de castanha de caju deverá atingir 120 mil toneladas até 2015, contra a produção de 96 mil toneladas verificada na safra de 2009, segundo o Instituto de Fomento do Caju (Incaju). Segundo o Incaju, no mesmo período, o processamento da castanha deverá passar das atuais 35 mil toneladas para 60 mil toneladas, ou metade da produção total.
Um documento do Incaju mostra que o setor do caju cresceu, em termos globais, 5,8 % no período em análise, como consequência do crescimento da produção e distribuição de mudas em 12,5 %, tendo a comercialização crescido 11,1 % e o processamento 3,9 %. Já as exportações globais aumentaram a uma média anual de 6,2 %, resultado de um crescimento de 7 % na exportação da castanha in natura e de 5,4 % na exportação da castanha processada (amêndoa).