sábado, 29 de novembro de 2008

UnB descobre potencial do caju no combate ao câncer

Conhecida pelo uso na produção de doces, sucos e por ser um dos petiscos mais apreciados, a castanha de caju tem potencial de ser uma alternativa inovadora e barata no tratamento do câncer de boca e de mama. Essa foi uma das constatações do químico Wellington Alves Gonzaga em sua tese de mestrado apresentada na Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade de Brasília (UnB) no primeiro semestre deste ano. O trabalho estudou as substâncias que compõem o óleo extraído do interior da casca da castanha, em especial do ácido anacárdico e o cardanol.
Durante dois anos, o pesquisador, que também trabalha como professor da Secretaria de Educação, realizou seus estudos nos laboratórios de Ciências da Saúde e Química da UnB onde descobriu que, em alguns casos, as substâncias extraídas do óleo e processadas em laboratório têm o poder de destruir até 70% das células cancerígenas de mama e até 80% das células que provocam o câncer de boca.
A extração do óleo é uma tarefa delicada: a castanha precisa ser cortada e superaquecida com etanol para a retirada do líquido, que ainda é pouco valorizado no Brasil.
Atualmente, quando ele não é descartado pelas indústrias após a torrefação, é vendido para empresas no exterior a preços irrisórios. Essas empresas fazem o processamento do óleo, que é revendido para o país a preços elevados. (Fonte: Correio Braziliense)

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Caju e Mel

O município de Ocara promove nesta sexta e sábado a terceira edição da Feira do Agronegócio do Caju e do Mel (Cajumel). O evento consolida-se como uma nova proposta para que os pequenos agricultores e produtores de mel possam ter melhorias significativas nestes setores. O município de Ocara é o principal produtor de castanha de caju do Maciço de Baturité, com uma produção de 10 mil toneladas de castanha por ano.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Caju em Tocantins

O Ministério da Integração Nacional liberou R$ 75,4 milhões para a realização de programas e obras em 14 estados brasileiros. Na Região Norte, o governo do Estado do Tocantins foi beneficiado com R$ 5,3 milhões. Serão destinados R$ 222,5 mil para a implantação de uma unidade de produção de mudas de caju, com o objetivo de fortalecer o arranjo produtivo local da cajucultura na região do Jalapão, em Novo Acordo (TO).

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Preços do caju-de-mesa

Veja no site Cajucultura os preços de venda do caju de mesa no atacado praticados em algumas Centrais de Abastecimento do país, referentes à semana de 17 a 21/11/2008.

sábado, 22 de novembro de 2008

Castanha de caju: retração no consumo

O principal problema da indústria de processamento da castanha de caju no Ceará hoje é com o consumo dos países importadores. O câmbio, já há alguns meses acima dos R$ 2, favorece as exportações do produto, mas faltam compradores. No período de maior movimento, outubro e novembro, o mercado externo praticamente parou de importar. "As vendas diminuíram consideravelmente. É uma coisa atípica", diz o presidente do Sindicato das Indústrias de Processamento da Castanha de Caju (Sindicaju), Antonio José Gomes Teixeira de Carvalho. Segundo ele, atualmente as empresas estão comprando matéria-prima, processando e estocando. "As empresas estão superabastecidas mas sem vendas", completa, ressaltando que não sabe até quando essa situação se mantém porque daqui a pouco, em plena safra, as empresas não terão mais espaço. Ele adianta que os importadores estão preferindo reduzir os estoques para gerar caixa (dinheiro). Os dois principais compradores da castanha brasileira, que tem o Ceará como maior produtor e exportador no Brasil, são os Estados Unidos - foco principal da crise - e os países da Europa também muito afetados. Antonio José descarta a possibilidade de vender a produção no País. "O mercado interno não absorve nem 30% do que é produzido aqui", avalia. Sobre a cotação do dólar diz que é difícil prever qualquer coisa no momento por causa da volatilidade. "A gente imagina que o dólar fique sempre acima dos R$ 2, R$ 2,10, o que é para o setor mas a preocupação hoje é com o consumo", conclui. (Fonte: Jornal O Povo)

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Começa o V Caju Nordeste

Começa nesta manhã (22 de novembro), indo até sábado, em Beberibe (CE) o 5º CAJU NORDESTE, com o tema “Negócios com inovação e integração na cadeia produtiva do caju”. Evento itinerante, o CAJU NORDESTE se realiza a cada ano em um município distinto, no território cearense. È o maior evento da Cajucultura brasileira. Confira o site do evento.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Caju-de-mesa

Veja no site Cajucultura os preços de venda atualizados do caju-de-mesa no atacado praticados em algumas Centrais de Abastecimento do país, referentes à semana de 10 a 14/11/2008.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Caju no Mato Grosso

No município de Rosário Oeste (128 km ao Norte de Cuiabá), está sendo instalada uma indústria para beneficiar castanha de caju e produzir doces desidratados. Cerca de 200 produtores estão sendo incentivados a aderirem ao Projeto de Revitalização da Cultura do Caju na Baixada Cuiabana. Atualmente o Estado de Mato Grosso tem uma área plantada de mais de 1 mil hectares de cajueiro, distribuídos nos municípios de Rosário Oeste, Jangada, Acorizal, Gaúcha do Norte, Terra Nova do Norte, Nova Mutum e Sorriso.
Atualmente existem vários clones de cajueiro-anão precoce recomendados para o plantio comercial. No Estado estão sendo recomendados os clones: CCP 76, Embrapa 51, BRS 226, BRS 189 e CCP 09 que têm demonstrado boa adaptação às condições climáticas.
A indústria terá capacidade para beneficiar seis toneladas de castanha de caju por dia e desidratar outras frutas, como a manga, acerola e goiaba.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Castanha do Piauí

Números relativos ao Produto Interno Bruto, divulgados pela Fundação Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí -Cepro mostram que a economia se expandiu em 2006. Os setores da economia que mais agregaram valores ao PIB piauiense foram serviços (R$ 8,374 milhões), indústria (R$ 1,931 bilhões) e agropecuária (R$ 1,082 bilhões). A agropecuária se expandiu 6,35%, graças à lavoura permanente, destacando-se a produção de castanha de caju, com crescimento de 70% em 2006.

domingo, 16 de novembro de 2008

Safra de castanha 2008

O IBGE divulgou a décima previsão da safra brasileira de castanha de caju para 2008, tendo como referência o mês de outubro. Em relação a 2007, houve uma variação de 101,32% na produção, 1,71% na área plantada, +1,92% na área colhida (hectares) e 97,37% no rendimento (kg de castanha por hectare). Veja detalhes no site Cajucultura.

sábado, 15 de novembro de 2008

Suco de caju

O Suco Premium Caju, da Jandaia, recebeu o prêmio nacional de Lançamento do Ano, na categoria Bebidas Não-Alcoólicas na 31ª edição da Abras, via revista SuperHiper.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Caju Nordeste

De 19 a 22 de novembro de 2008 sedrá realizado em Beberibe (CE) o 5º CAJU NORDESTE, tendo como Tema Central: “Negócios com inovação e integração na cadeia produtiva do caju”.
Evento itinerante, o CAJU NORDESTE se realiza a cada ano em um município distinto, dentro do território cearense. A participação é gratuita, possibilitando que todos os interessados, especialmente os pequenos proprietários e trabalhadores rurais, tenham acesso às inovações tecnológicas disponíveis para o setor.
Contando mais uma vez com o decisivo apoio de importantes parceiros, este ano o evento apresenta uma rica e diversificada programação, com ênfase na realização de atividades práticas, nas quais os participantes terão a oportunidade de interagir com os instrutores em oficinas técnicas, mini-cursos e demonstrações, cobrindo vários aspectos dentro da cadeia produtiva do caju.
Este é o maior evento da Cajucultura brasileira. Vale a pena conferir!

sábado, 8 de novembro de 2008

Agricultura familiar

Araçá, buriti, bacaba, cajá, cajuí e murici. Estas são as principais matérias-primas de um projeto de desenvolvimento sustentável desenvolvido por agricultores familiares da Cooperativa Agroflorestal do Nordeste do Tocantins, instalada no município de Santa Maria do Tocantins. Os produtos resultantes deste projeto (polpas, compotas, doces e óle ) serão expostos e comercializados na V Feira Nacional da Agricultura Familiar e Reforma Agrária, que será realizada de 26 a 30 de novembro, na Marina da Glória, no Rio de Janeiro.
Os produtos são naturais, sem conservantes e aditivos químicos. Em breve, passarão a ser identificados pela marca “Gosto do Cerrado”. O caju está entre as frutas nativas e adaptadas ao bioma. Todas são coletadas por agricultores familiares no Cerrado ou em pequenos pomares cultivados nos quintais de casas e propriedades rurais.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Caju-de-mesa

Veja no site Cajucultura os preços de venda atualizados do caju-de-mesa no atacado praticados em algumas centrais de abastecimentos do país, referentes à semana de 3 a 7/11/2008.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Caju na Feira do Empreendedor

O caju será destaque na Feira do Empreendedor, que será realizada no período de 19 a 23 de novembro, em Teresina. Exposição de produtos à base de caju, oficinas de culinária a partir do caju e exposição de frutas do Distrito Tabuleiros Litorâneos serão atividades apresentadas pela Unidade do Sebrae no Piauí durante a feira.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Preços do caju-de-mesa


Veja no site Cajucultura os preços de venda do caju de mesa no atacado praticados em algumas Centrais de Abastecimento do país, referentes à semana de 27 a 31/10/2008

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Cajucultura em Moçambique

Moçambique pretende aumentar a produção de castanha de caju para 250 mil toneladas por ano, no prazo de cinco a dez anos, tornando-se novamente um dos maiores produtores mundiais, de acordo com informações do Departamento de Economia do Instituto de Fomento do Caju (INCAJU). Para atingir a produção prevista o programa do INCAJU pretende aumentar o plantio anual de mudas de 1,5 milhões para 3 milhões.
Durante os anos 70 Moçambique chegou a ser considerado o maior produtor mundial de caju. No final da década de 80 o setor sofreu uma significativa redução, devido a fatores relacionados com o clima, envelhecimento de plantas e, ainda, ao aparecimento de pragas e doenças, culminando com o quase deparecimento da atividade na década 90 (Fonte: Macauhub).

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Castanha lidera no RN

De acordo com os dados da Secretaria Estadual do Desenvolvimento Econômico – Sedec do Rio Grande do Norte, as exportações de setembro somaram 239,6 milhões de dólares e a castanha de caju é o destaque da balança com 35,5 milhões de dólares exportados, um crescimento de 19% com relação ao mesmo período do ano passado. O segundo item da pauta é o melão, ainda no inicio da safra, com 32,2 milhões de dólares comercializados no exterior, seguido de combustível para consumo de bordo em terceiro lugar na pauta com 23,6 milhões de dólares exportados e um aumento de 78,8% com relação ao ano passado.

domingo, 2 de novembro de 2008

Safra brasileira de castanha de caju

O IBGE divulgou a nona previsão da safra brasileira de castanha de caju para 2008, tendo como referência o mês de setembro. Em relação a 2007, houve uma variação de 101,41% na produção, 1,71% na área plantada, +1,92% na área colhida (hectares) e 97,37% no rendimento (kg de castanha por hectare). A novidade é o estado de Pernambuco aparecendo nas estatísticas.Veja mais detalhes no site Cajucultura.

Cajucultura no Piauí

Com o objetivo de promover o desenvolvimento sustentável do Arranjo Produtivo da Cajucultura, a Federação das Indústrias do Estado do Piauí e o Sebrae local, estão desenvolvendo o Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias (Procompi) em 20 associações de pequenos produtores de caju, localizadas nos municípios de Parnaíba, Buriti dos Lopes, Cocal, Piracurauca, Batalha, Esperantina, Brasileira, Piripiri, Pedro II, Lagoa de São Francisco, Campo Maior, Castelo do Piauí, Sigefredo Pacheco, Capitão de Campos, Domingos Mourão, Joaquim Pires e São João da Fronteira.
O projeto se constitui em ações de fortalecimento da cultura exportadora, bem como na criação e organização das cooperativas e implantação de central de comercialização. Segundo ele, o programa tem por finalidade principal levar ao produtor capacitação gerencial e tecnológica, através de cursos, consultorias, seminários, congressos, palestras e clínicas tecnológicas para o melhor aproveitamento do potencial da atividade na região.
As ações consistem em ensinamentos que variam desde a implantação da cultura do cajueiro, incluindo produção de mudas enxertadas de caju, manejo da cultura do cajueiro, substituição de copas de cajueiros improdutivos, até a gestão do agronegócio do caju.

sábado, 1 de novembro de 2008

Zoneamento agrícola

Mais cinco portarias, aprovando o zoneamento de risco climático para as culturas de banana, caju, mamona e milho, foram publicadas no Diário Oficial da União, no últimno dia 30/10, pela Coordenação-Geral de Zoneamento Agropecuário do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Para a cultura da banana safra 2008/2009, a portaria indica áreas de plantio no estado do Maranhão, levando em conta temperaturas médias elevadas, alta umidade relativa do ar e solo úmido, o que apresenta bom desenvolvimento vegetativo.
O cultivo do caju foi recomendado para o Ceará e Piauí. O Ceará, com uma área plantada de aproximadamente 371 mil hectares e produção de 130 mil toneladas/ano, segundo dados do IBGE, é um dos principais produtores de castanha do caju, da região Nordeste.