sábado, 28 de abril de 2007

Guiné Bissau

O governo da Guiné-Bissau fixou em 200 francos CFA (U$ 0,43 )/kg o preço de compra e venda da castanha do caju, principal produto de exportação do país e uma das mais importantes fontes de receita daquele país. Além disso determinou uma série de medidas para disciplinar a comercialização da safra de 2007, como a proibição de escoamento da safra através de fronteiras terrestres e abertura de linhas de crédito específicas. Estudos indicam que cerca de 80 % da população guineense vive direta ou indiretamente da cajucultura.

domingo, 22 de abril de 2007

Demanda de ACC

A amêndoa de castanha de caju (ACC) ocupa a terceira posição mundial no mercado de nozes, com uma demanda de 1,75 milhões de toneladas métricas.

terça-feira, 17 de abril de 2007

Castanha de caju: safra 2007

O IBGE divulgou a terceira previsão da safra brasileira de castanha de caju para 2007, tendo como referência o mês de março. Em relação a 2006, houve uma variação de +6,97% na produção, +0,93% na área plantada, +2,22% na área colhida (hectares) e +4,73% no rendimento (kg de castanha por hectare). Veja mais no site Cajucultura.

sábado, 14 de abril de 2007

Castanha de caju em terceiro

O agronegócio continua liderando a pauta de exportações do Rio Grande do Norte, que teve o melão como grande destaque do primeiro trimestre de 2007, liderando as exportações do estado com US$ 22,2 milhões (R$ 45 milhões). Em relação ao ano passado, o produto apresenta um crescimento de 37,2%. O melão vem seguido pelo açúcar que exportou US$ 9,7 milhões (R$ 19,6 milhões) nos três primeiros meses do ano. Em terceiro lugar na pauta está a castanha de caju, com US$ 9,3 milhões (R$ 18,8 milhões) com queda de 19,1% em relação a 2006.

sexta-feira, 13 de abril de 2007

Conjuntura da castanha de caju

A partir dos dados publicados pela Secretaria de Comércio Exterior – Secex, compilados pela conjuntura divulgada pela CONAB, o Brasil exportou nos dois primeiros meses de 2007, 8.472 t de amêndoa à soma de US$38.480.243,00 (valores atuais). Contudo, a quantidade exportada em fevereiro foi menor, 3.960 contra 4.512 toneladas em janeiro. O Vietnã, segundo produtor mundial, exportou nesse mesmo período, duas vezes mais que o Brasil, 19 mil toneladas de amêndoa no valor de US$ 75 milhões, quantidade 12% superior da 2006. Para 2007 o país estima auferir uma receita U$700 milhões com as exportações do produto, valor este cerca de 39 % superior a 2006.

quinta-feira, 5 de abril de 2007

Vietnã exporta 27 mil t de ACC

O Vietnã exportou 27 mil t de ACC (amêndoa de castanha de caju), no valor de US$ 107 milhões, no primeiro trimestre de 2007 (10,6% superior a 2006). Segundo dados da Vietnam Cashew Association, em 2007 as exportações atingirão U$700 milhões, quase 39 % maior do que em 2006,. O ano passado os principais embarques de ACC made in Vietnã foram principalmente para a China, EUA, Países Baixos, Austrália, Canadá, Grã Bretanha e Rússia. Vietnã e Índia, dois dos maiores exportadores mundiais de ACC, estabeleceram recentemente uma aliança para promover o aumento do consumo global de ACC.

domingo, 1 de abril de 2007

Segunda maior área

O Piauí possui a segunda maior área cultivada com o cajueiro do Brasil. São 170 mil hectares plantados. No Estado existem 20 agroindústrias de beneficiamento da castanha de caju e a produção é de 160 mil toneladas ao ano. O setor gera cerca de 30 mil empregos permanentes e 60 mil temporários.