domingo, 25 de março de 2007

ACC: preço alto entrava consumo

Enquete realizada pelo site Cajucultura reforça a tese de que o fator preço é um dos principais entraves para o aumento do consumo da amêndoa de castanha de caju. A maioria dos internautas (63,64%) que participou da enquete atribui ao elevado preço do produto o baixo consumo da amêndoa de castanha de caju no Brasil. Para 22,08% falta de divulgação interna, enquanto 14,29% acham que a prioridade é o mercado externo.

sábado, 24 de março de 2007

Desempenho vietnamita

O Vietnã exportou 19 mil toneladas de amêndoa de castanha de caju (ACC) nos dois primeiros meses do ano, 127% superior em relação ao mesmo período do ano passado, com um faturamento de US$ 75 milhões. A maior parte das exportações destinou-se aos Estados Unidos, Canadá, Hong Kong, Formosa, Emirados Árabes, Alemanha, Tailândia e Noruega. O ano passado suas exportações somaram U$ 520 milhões.

quinta-feira, 22 de março de 2007

Conjuntura do caju-de-mesa

O site Cajucultura divulgou os preços do caju-de-mesa na semana de 12 a 16 de março nas principais centrais de abastecimento do país onde o produto é comercializado. O site também lança uma nova enquete que trata da qualidade do caju comercializado para o consumo in natura.

segunda-feira, 19 de março de 2007

Caju no cozinha Brasil

O desperdício de cerca de duas toneladas da pedúnculo de caju, rico em vitamina C, pela população nordestina, chamou a atenção dos nutricionistas do programa de educação alimentar Cozinha Brasil do Sesi. O órgão trabalha há dois anos em todo o país com aproveitamento de alimentos na sua integralidade. Atraídos pelos números do desperdício, o órgão, a exemplo do que já faz a Embrapa Agroindústria Tropical no Ceará, resolveu destacá-lo dentro do seus programa na região nordeste, em especial nos estados do Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí e Bahia, maiores produtores de castanha de caju. O resultado do trabalho poderá ser visto ainda este ano, provavelmente em maio, numa publicação especifica de receitas de caju distribuídos durante os cursos de educação alimentar do Sesi no Rio Grande do Norte, Ceará, Bahia e Piauí.

sábado, 10 de março de 2007

Safra brasileira de castanha de caju

O IBGE divulgou a segunda previsão da safra brasileira de castanha de caju para 2007, tendo como referência o mês de fevereiro. Em relação a 2006, houve uma variação de +7,04% na produção, +0,83% na área plantada, +2,22% na área colhida (hectares) e +4,73% no rendimento (kg de castanha por hectare). Leia mais detalhes no site Cajucultura.

sexta-feira, 9 de março de 2007

Produção de castanha cresce no Vietnã

A quantidade de castanha produzida pelo Vietnã este ano crescerá 12,5%. De acordo com a Associação de Cajucultores do Vietnã os produtores colherão 350.000 toneladas de castanha de caju em 2007, com 50.000 toneladas importadas do Cambodja, para atender as necessidades dos processadores. Os analistas de mercado prevêem que o Vietnã exportará 140.000 toneladas de ACC em 2007.

quarta-feira, 7 de março de 2007

Castanha de caju moçambicana

Os produtores de caju moçambicanos na atual safra comercializaram cerca de 75.997 t de castanha, com a maior parte deste total (68.829 t) vendida pelas províncias do norte, particularmente Nampula e Cabo Delgado. Os preços de exportação estiveram abaixo da expectativa no início da safra, devido a notícias (aparentemente falsas) que as plantas processadoras da Índia detinham um grande estoque de castanha e que havia um excesso também na África ocidental. Também surgiram boatos de que de que as safras da Tanzânia e Indonésia haviam sido excepcionais. Na safra 2005/6 Moçambique exportou 26.349 t de castanha de caju. Este ano espera-se que as plantas processadoras locais adquiram até 30.000 t de castanhas. Entretanto, das treze plantas que estavam operando em 2006, duas (em Nampula) podem parar de funcionar este ano, principalmente devido a falta de capital para compra da matéria prima. Os preços pagos aos produtores pelo quilo de castanha variaram entre seis e oito meticais (no câmbio atual 25,8 meticais equivalem a um dólar americano). Isto representa um leve declínio em relação ao ano passado, quando os preços por quilo de castanha variaram entre sete e oito meticais.

segunda-feira, 5 de março de 2007

Páscoa com castanha de caju

A Nutty Bavarian preparou uma embalagem especial para a páscoa 2007, recheada de nuts glaceadas, que estará disponível a partir de 20 de março. Em formato de cenoura, a nova embalagem traz 160g, que pode conter todos os tipos de nuts ou a combinação que o consumidor preferir: castanha de caju, amêndoa, macadâmia, noz pecan e amendoim. As castanhas fazem parte de um grupo de alimentos essenciais para uma dieta saudável. Estudos realizados na Universidade de Nutrição de Loma Linda, nos EUA, comprovaram os nutrientes de vários tipos de castanhas. Segundo o médico Joan Sabaté, coordenador das pesquisas, “as castanhas possuem vitaminas e sais minerais importantes para manter a saúde do corpo”. A carência de nutrientes e o desequilíbrio energético nos alimentos podem resultar em várias doenças como obesidade, hipertensão e anemia.

domingo, 4 de março de 2007

Números do Vietnã

Somente nos dois primeiros meses de 2007 o Vietnã exportou 19 mil t de ACC (amêndoa de castanha de castanha de caju), correspondente a U$ 75 milhões. É provável que este ano comercialize cerca de 140 mil t de amêndoas de ACC, avaliadas em U$ 560 milhões, de acordo com a Associação de Cajucultura do Vietnã. Presentemente aquele país está investindo na qualidade de produtos, intensificando a promoção comercial, conquistando mercados tradicionais como China, os Estados Unidos, Países Baixos, Austrália, Canadá, Grã-Bretanha, Rússia e Japão, e buscando novos compradores. Vale lembrar que em 2005 o país possuía 350 mil ha de cajueiros, e planeja aumentar a área para 450 mil ha em 2010.

quinta-feira, 1 de março de 2007

No caminho certo

O Governo do Rio Grande do Norte anuncia a distribuição de 200 mil mudas enxertadas de cajueiro anão precoce, dentro da política de incentivo à cultura do cajueiro. Segundo dados da Secretaria de Agricultura e Pecuária, entre 2003 e 2006 foram distribuídas cerca de 270 mil mudas de cajueiro anão naquele estado.